Luto da Adolescência (Poema)

por Raphael Martins

[Poema publicado originalmente na fanpage do Relatos de um Garoto de Outro Planeta no facebook no dia 11 de Dezembro de 2018]

Siga nas redes sociais: 👍 Facebook | 💬 Twitter | 📷 Instagram | 📌 Pinterest
🔔 Seja um padrinho! Conheça minha campanha no Padrim

Texto antigo com novo layout porque eu estava inspirado. Sim, eu decidi assinar o meu nome porque eu fiquei muito orgulhoso desse texto mesmo, mas continua não afetando meu anonimato porque tem um monte de Raphael Martins no Facebook, aliás Raphael/Rafael e variantes são uns dos nomes masculinos mais populares do Brasil 😂😂😂


__________________

🐛... 🦋

Eu escrevi esse poema ano passado inspirado em uma sessão que tive com a minha psicóloga, até postei na página. Eu nunca fui muito de escrever poemas, acho que esse foi um dos primeiros que eu escrevi, eu não me preocupei em seguir protocolos ou técnicas ou nada do tipo.

Ele fala basicamente sobre uma fase que eu passei (e que muitas pessoas passam) na fase da transição entre a infância e a adolescência em que nós começamos a ter muitas mudanças, tanto físicas, quanto de personalidade e até mesmo de sexualidade (já que começa a aflorar as orientações sexuais-afetivas).

Nessa fase é como se o meu antigo eu criança morresse e nascesse um novo eu, mas o antigo eu já tinha o amor e a aprovação da minha família, o novo eu ainda não, será que eles vão gostar de mim assim?

Bem, a maioria dos pais não reage muito bem nessa fase da adolescência e descobrimento da identidade dos filhos e tudo bem, isso é normal, pais não são perfeitos, mas na cabeça da criança é complicado entender isso, ela acha que essa nova versão dela não vai ser aceita e amada pelos pais como a antiga versão criança delas era.

Dessa forma a criança, no caso eu, vivência um episódio de luto pela morte do seu antigo eu e pelo medo da não aceitação do novo que no momento nem ela aceita.

Essa fase do luto da adolescência me marcou muito, na verdade, eu só aceitei que cresci nos últimos anos, faz pouco tempo. Eu tinha medo de crescer diante dos meus pais e eles não me amarem mais e eles acabavam tomando algumas atitudes que acabam reforçando esse meu medo (eu não tenho nenhum rancor e estou postando isso justamente porque já resolvi essa questão, ok?).

Eu não sei se eles tinham essa intenção, mas toda vez que eu demonstrava estar crescendo eles pareciam desapontados, então Inconscientemente eu achava que eles não queriam que eu crescesse ou que era errado crescer. Por exemplo: uma vez eu estava indo para a escola e a minha mãe que deu uma blusa de frio para eu me vestir, mas era uma blusa muito feia, então eu troquei ela por uma blusa moletom verde com capuz que eu gostava porque ela era mais bonita e eu queria ficar mais bonito, né?

Primeiros sinais de vaidade aparecendo 👀. Então a minha mãe me olhou de um jeito triste: "poxa, filho, você já está se preocupando com essas coisas? [Vaidade]", porque crianças não ligam tanto para isso quanto adolescentes, né? E ela estava vendo que eu estava me tornando um adolescente. Na hora eu retruquei e neguei que eu estava escolhendo a outra blusa por vaidade, como se eu estivesse fazendo algo errado mesmo 😐

Enfim, o desenho da esquerda representa a minha infância, eu era mais retraído, eu falava para dentro, quase não dava para ouvir minha voz (frequentemente faziam piadas com isso na escola porque eu nem conseguia responder a chamada 👀), eu me escondia atrás do meu cabelo.

O desenho da direita representa a adolescência que foi uma fase de mais rebeldia, eu passei a usar maquiagem (lápis de olho), inspirado em artistas que eu acompanhava que utilizavam e eu achava bonito. Esses desenhos foram feitos originalmente em 2012 em uma atividade de um curso que eu fazia em uma ONG, fazia parte de um trabalho do curso que se chamava Projeto de Vida e essa atividade em questão era para que a gente desenhasse nosso passado, presente e futuro.

No passado eu desenhei essa minha versão criança, no presente eu desenhei a versão adolescente e no futuro eu desenhei um vulto porque eu não tinha nenhum noção do que eu me tornaria.

🌱

__________________

"LUTO DA ADOLESCÊNCIA


Ficou desapontado ao me ver crescer

Adquirir os próprios pensamentos e crenças

Desapontado até mesmo de ver os primeiros pelos no rostinho que costumava ser angelical
Eu não sou mais o seu bebê? 😔
Eu não gosto desse meu novo eu
Não gosto desse meu novo corpo
Queria continuar criança
E ser amado 💔 "

Autor:
Raphael Martins





Comentários

  1. Ah tudo isso me lembra do puta valor que alguns dão quando algo vem de uma criança ou adolescente(como um texto,desenho, etc),mas quando esse cresce se torna só mais uma coisa que qualquer um podia ter feito. Isso deve gerar outra confusão show. É como se nessa faixa etaria ninguem esperasse nada criativo ou coisa do tipo, mas depois as expectativas se tornam sufocantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana! Obrigado por comentar! Peço desculpas por demorar tanto para aprovar e responder, é que eu criei um email apenas para moderar os comentários do blog, mas os emails das notificações estavam indo para uma guia diferente (no gmail), então eu não visualizei e pensei que ninguém havia comentado ainda.

      Você tem toda razão! É muito difícil lidar com essas mudanças de expectativas dos pais e adultos que nos cercam.

      Excluir
  2. Olá tudo bem ?
    Seu conto ou poema me fez pensar muito. Não é porque cresceu que deixou de ser amado. Muda apenas a maneira das pessoas exporem seu amor a uma criança ou a um adolescente. Errado ? Não sei . .. mais a maioria dos adolescentes não querem ser tratados como uma criança.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah sim. Esse poema não é um sentimento que eu esteja sentindo agora, mas algo que eu senti quando era pequeno e estava crescendo. É algo vivenciado por muitas crianças <3

      Excluir
  3. Caraca me identifiquei muito com esse post. Eu demorei muito pra entender essa transição sabe, foi muito dificil ter que entender que era velha demais pra alguma coisa e nova demais pra outras e a mudança pra ser adulto, meu deus, acabou comigo, como é dificil ter responsabilidades e ter que andar com as proprias pernas né?! Nossa senhora...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, é uma mistura de coisas, mas acho que o que mais doeu em mim (e que inspirou o poema) foi que conforme fui me descobrindo e passando a ter meus próprios pensamentos, meus pais reagiam mal. Acho que a maioria dos pais reagem.

      Excluir
  4. Lindo poema, bem reflexivo e profundo. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  5. Bem interessantes o poema e seu relato! Lembrei da minha época e da época do meu filho. Como mãe vou te dizer que as mães, no fundo, pensam nos filhos como eternas crianças. Meu filho é casado e tem a sua família, num conselho que dei ele me disse que não tem mais cinco anos. Os pais jamais deixam de amar seus filhos, talvez não queiram que eles cresçam porque sabem que depois que eles crescem vão sair debaixo de suas asas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade, mas eu acho que os pais deveriam tentar demonstrar menos esse tipo de sentimento para os seus filhos porque pode acontecer de eles se sentirem culpados mesmo por estarem crescendo, q foi oq aconteceu comigo. (claro que cada criança é única e pode reagir de formas diferentes)

      Excluir
  6. Olá,

    Gostei muito do seu poema, pois ele consegue passar bem o sentimento que sentimos durante esta transição. Creio que até para quem deseja "ser adulto", essa seja uma fase conturbada e que nos traz muitas incertezas. Adorei o seu poema, de verdade. E também gostei muito das suas duas imagens, deu para ter uma representação do que desejou passar.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. O põe na tá sensivelmente lindo, mas quero te dizer que amei o texto introdutório dele e o teu desabafo. Dificilmente a gente lê confissões como a que vc fez. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geralmente quando eu escrevo um poema e publico aqui no blog eu coloco um breve textinho sobre ele (só quando o poema é sobre um assunto muito difícil pra mim que eu não faço).

      Mas infelizmente não vou mais publicar poemas aqui no blog porque vou reunir todos os poemas em um livro que publicarei futuramente.

      Excluir
  8. Que lindo o seu poema e os seus desenhos! Continue compartilhando os seus pensamentos, devaneios, até mesmo poemas como esse. É tão bom se expressar... E muitas vezes, os mesmos problemas que estamos enfrentando são os mesmos problemas que outras pessoas também estão enfrentando. Você tem talento, vai longe garoto! E com certeza ainda vai ajudar muitas pessoas! As transições que passamos, no decorrer da vida, são bem delicadas e pouco discutidas. Eu me vi em uma situação parecida quando entrei na tal "fase adulta", muitas pressões, expectativas familiares, trabalho... trabalho... Às vezes eu pensava, é realmente tudo sobre dinheiro? Sempre existe muito mais do que os nossos olhos conseguem enxergar. Cada momento de transição é um momento único. Por isso, precisamos cultivar a paciência, para curtir todo o processo e não atropelar as coisas. Tudo no seu tempo, não é verdade? Adorei a sua reflexão, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! Acho que vou escrever um sobre a transição para a fase adulta tbm.

      Infelizmente não vou mais publicar poemas aqui no blog por bastante tempo porque pretendo reunir todos em um livro que vou publicar futuramente, então eu vou deixar eles para serem publicados de forma inédita nesse livro, mas as reflexões ainda farei bastante <3

      Excluir
  9. Olá
    Acho que toda grande mudança traz um certo medo, não sofri tanto na passagem da infância para a adolescência, mas da última para a vida adulta, essa foi (acho que meio que continua) sendo difícil, não pela parte das responsabilidades, mas por não me sentir igual a nenhum adulto que conheço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei como é também. Acho que também tive uma crise na fase adulta, mas finalmente estou me encontrando. Principalmente profissionalmente.

      Excluir
  10. Cara, tenho um filho entrando na adolescência, então curto demais entender o que um adolescente de 2019 está pensando. Claro, já fui adolescente, sei do turbilhão, mas é sempre muito especial aprender com quem está passando por isso agora. Lindo teu planeta, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado <3

      Não sou adolescente, tenho 24 anos, mas falo bastante sobre como foi minha adolescência por aqui

      Excluir

Postar um comentário

Dica: clique em "notifique-me" para que você seja avisado(a) por e-mail quando eu responder seu comentário ❤