O Caderno (Poema)

Poema que eu escrevi em uma oficina de poesia que participei. Tema: terror.

Faz tempo que eu não publico poemas aqui no blog. Inclusive, cheguei a comentar que eu não postaria mais porque pretendia lançar um livro e iria guardar os próximos que eu fosse escrevendo para publicá-los com exclusividade nele. Eu não desisti dessa ideia, porém, ela está longe de ver a luz do dia porque cheguei a conclusão que preciso estudar e praticar mais minha escrita antes de inventar uma coisa dessas.

Então, há uns meses participei de uma oficina de poesia e escrevi um texto muito legal, resolvi ilustrar e compartilhar com vocês. Dessa vez não vou discorrer sobre as minhas intenções com os versos, quero deixar que vocês criem suas próprias interpretações.

Essa foi uma descoberta que tive nessa oficina: um poema rico é aquele que não limita tanto os significados e interpretações dos leitores, e para isso precisamos tomar cuidado ao utilizar palavras e adjetivos muito saturados de significado.

Deixem nos comentários se gostaram e quais sentimentos meu poema despertou em vocês. Vou adorar saber! 😍😊

__________________

"O Caderno

ninguém conhece melhor
seus mais profundos
suas distorções
e seus inconfessáveis

todos os seus pecados
estão listados e sublinhados
nas folhas de seda
do meu caderno de capa de couro

quanto mais forte você me nega
mais forte é a pressão da nanquim
sobre as pautas das pálidas páginas

mesmo que você as rasure,
elas irão emergir novamente
em todas as superfícies
e em todas as faces


Autor:
Raphael Martins


Comentários

  1. Bem emotivo seu poema, ele faz com que haja várias interpretações e reflexões. Você leva jeito para escrever, parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Seu poema me fez lembrar do meu tempo de adolescente, quando eu tinha uma agenda onde, além de anotar meus compromissos, discorria sobre meus sentimentos. Era uma forma de desabafar através da escrita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto muito de escrever para expressar meus sentimentos, acho que por isso que acabei criando este blog.

      Excluir
  3. Eu sou leitora de poesias, mas não as escrevo (nem em meus sonhos) mas uso muito a prosa poética em minha escrita, porque adoro o sentir dos dias na própria derme e poesia não se trata de versos (para mim) e sim da maneira como desenhamos as nossas emoções. Acho que o poeta sempre se pergunta porque interromper o silêncio com dizeres? Porque é preciso calar os barulhos da realidade com algo que se não fosse a poesia, passaria despercebido. Por isso a poesia, para mim, é como um suspiro que acontece, antecede e pronto. Gosto dessa premissa.
    Quanto ao seu poema, é um diálogo promissor e quanto ao idéia de livro, acho singular pensar porque há tantos livros que nada dizem e é importante se preocupar em ter um livro que tudo diga.

    bacio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei seu comentário. Realmente poesia não é só versos, poesia é uma forma de linguagem. Ou função da linguagem, né? Então, até um desenho ou uma dança podem ser poesia. Gosto muito dos seus textos!

      Excluir
  4. Nossa, eu não sabia que você escrevia poemas! Gostei muito! E realmente concordo que com um poema rico cada um tem a sua interpretação e acho isso mágico demais!

    Beijos,
    Amanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando é assim, é como se o poeta convidasse o leitor a construir a poesia contribuindo com a sua interpretação. É muito mágico mesmo ❤

      Excluir

Postar um comentário

Dica: clique em "notifique-me" para que você seja avisado(a) por e-mail quando eu responder seu comentário ❤