Influenciadores e influenciados (Reflexão)

(Imagem retirada da internet)

Você acompanha muitos influenciadores nas redes sociais ou no Youtube? Já analisou se é saudável a sua relação com eles? Em algum momento, já ouviu sobre cultura do cancelamento?

Bem, eu estava refletindo sobre essas coisas porque acompanho alguns blogueiros e youtubers que foram alvo de polêmicas algumas vezes. Não vou citar nomes porque esta publicação não tem por objetivo atacar ninguém, mas pensei que seria interessante refletir sobre o papel que damos a essas figuras na nossa vida e quando isso pode se tornar um problema.

Segundo a definição do Dicio, a palavra influenciar significa: levar alguém a tomar alguma atitude ou pensar de uma determinada maneira. Portanto, um influenciador é uma pessoa que induz seus seguidores a adotarem algum estilo de vida, filosofia ou ideologia. Muitos deles, inclusive, comercializam esse estilo de video em parceria com marcas e patrocinadores. Se considerarmos o significado da palavra seguidor, as coisas ficam ainda mais reveladoras já que o termo pode apesentar uma conotação religiosa se referindo a pessoas que seguem uma doutrina ou pregador.

Siga nas redes sociais:
👍 Facebook | 💬 Twitter | 📷 Instagram | 📌 Pinterest
🔔 Seja um padrinho! Conheça minha campanha no Padrim

A partir disso já podemos examinar algumas questões. Pessoas precisam comprar estilos de vida, elas necessitam que alguém as diga no que acreditar. Até aí nenhuma novidade já que esse é basicamente o motivo pelo qual existem religiões no mundo. A novidade fica pelo aspecto ainda mais comercial. Entretanto, é interessante observar como esse tipo de influência tem saído do campo espiritual e tem estado presente em outras áreas na nossa sociedade contemporânea. Principalmente com o advento da internet, o que possibilitou o surgimento dos gurus blogueiros e youtubers.


O primeiro problema nisso é que as pessoas seguem essas personalidades de forma quase religiosa mesmo. Ou seja, elas acabam deixando de lado a sua própria capacidade de pensar e construir suas próprias convicções. É bem comum em discussões na internet eu ver pessoas apenas repetindo argumentos de formadores de opinião, por exemplo. Mesmo quando o influenciador utilizado como "fonte" possui um conteúdo de qualidade e bem embasado.

O segundo problema é que essa dinâmica muitas vezes sobe a cabeça do influenciador e um conteúdo que costumava ser de qualidade passa a ser utilizado como justificativa para atitudes... no mínimo questionáveis. Isso aconteceu bastante na área do ativismo em que alguns youtubers famosos se envolveram em polêmicas ao terem sido acusados de forçar a barra na militância (novamente, não vou citar nomes). Outra questão é: até que ponto é saudável para uma pessoa ser rodeada de milhares, em alguns casos até milhões, de seguidores fieis aplaudindo e concordando sempre com o que ela diz? Será que não se corre o risco de se esquecer que é possível estar errado?

Por fim chegamos na famigerada cultura do cancelamento. Ela consiste em boicotar celebridades, personalidades ou figuras públicas que tenham falado alguma besteira de teor preconceituoso e/, ou problemático. No entanto, essa lógica só faz sentido porque essas pessoas são idealizadas e tratadas como se devessem ser modelos a serem seguidos. Ninguém se dá conta de que se a cultura do cancelamento fosse aplicada a si próprio, teria de haver um por dia ou por semana. A diferença é que a besteira dita por uma pessoa anônima é esquecida já que ela não sofre tanta exposição e ela não é encarada como porta-voz de nada, além dela mesma.


Concluindo

Acompanhar pessoas na internet pode ser muito bom. Temos contato com outras vivências, aprendemos coisas novas, ou até mesmo nos identificamos com pessoas com histórias de vida parecidas com as nossas. Contudo, temos que analisar até que ponto essa relação entre quem segue e quem é seguido está sendo realmente saudável para nós. Se ela está nos libertando ou nos colocando em uma espécie de culto virtual moderno.

Qual a opinião de vocês sobre isso? E para você que está lendo e se considera influenciador: você costuma se questionar se você pode estar errado em algumas das suas convicções? Comentem e compartilhem! 😉


Salve no Pinterest!






Comentários

  1. Amo o dono da pagina ;-; esse gostoso fofo <3, Só verdades sobre influenciadores e influenciados do que eram e são hj em dia.

    ResponderExcluir
  2. Realmente as pessoas seguem quase que religiosamente, vejo isso como um problema, principalmente quando é um influenciador que não passa nada de bom para os outros. Excelente reflexão

    ResponderExcluir
  3. É positivo quando se trata de algo para nos divertir, nos inspirar, que abram portas para o conhecimento, novos lugares, idiomas e pessoas, e não como forma de "moldar mentes". Muito bom você chamar atenção para essa situação tão atual. Muito sucesso, bjo

    ResponderExcluir
  4. Tudo que é feito em excesso não é bom, incluo aí esse culto realmente quase que religioso a alguns influenciadores. Acho ok acompanhar algumas pessoas que falam sobre coisas que nos interessam, mas seguir cegamente, sem usar sua capacidade de reflexão pode resultar em comportamentos robóticos e nada saudáveis.

    ResponderExcluir
  5. Eu tbm acompanho alguns que já foram alvos de criticas e tudo mais.
    Amo saber pelo menos um pouquinho o que cada um faz, o que gosta, curiosidades em geral e tudo mais.
    Não me deixo influenciar tão fácil assim, acho que é até bom né, num mundo que estamos atualmente.
    Amei seu post.
    https://blogdajenny2014.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Realmente hj em dia é preciso saber quem seguimos, o que nos é saudável ou não. Há muitos conteúdos beneficos, mas também há muita poluição que não nos agrega em nada. É preciso saber identificar e separar o joio do trigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Importante sempre, se não a gente gasta nossa energia absorvendo muitos conteúdos que não agregam.

      Excluir
  7. olá, gostei muito da tua reflexão espelha o que se passa no mundo virtual, ao longo da minha leitura da tua reflexão encontrei algumas coisa que todas junta definem a 100% o que é isto de ser influenciador ou influenciados, uma das partes foi:" o primeiro problema nisso é que as pessoas seguem essas personalidades de forma religiosa (...) a sua própria capacidade de pensar e construir suas próprias convicções" este é um ponto negativo de sermos influenciados pois passamos a deixar de ter personalidade deixamos de ser únicos, mais adiante já na conclusão referes que "temos contacto com outras vivências, aprendemos coisas novas, ou até mesmo nos identificamos com pessoas com histórias de vida parecidas com as nossas" na minha opinião esta é a verdadeira razão para seguirmos pessoas na Internet, e não seguirmos uma pessoa só porque esta é "paga" para fazer publicidade a um determinado objecto e na realidade não gosta do objecto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, mas é sempre bom analisarmos se a nossa relação com os nossos influenciadores é saudável. Obrigado pela visita <3

      Excluir

Postar um comentário

Dica: clique em "notifique-me" para que você seja avisado(a) por e-mail quando eu responder seu comentário ❤