Sonic não é como Mario e nem deve ser (Opinião)

(Imagem retirada da internet)

Como vocês já devem ter percebido por outras publicações aqui no blog, eu sou um grande fã do ouriço azul. Ainda não consegui colocar em prática aquele meu plano de criar um novo blog focado em cultura pop, como falei no post de aniversário do blog, porque fiquei bastante atarefado nas últimas semanas, contudo, queria aproveitar o hype do novo filme do Sonic para falar algumas coisas que penso a respeito da série. Resolvi publicar aqui mesmo, já falei de videogames, quadrinhos e vários outros temas que não são o foco principal do blog e sempre tive uma recepção bem positiva.

Siga nas redes sociais: 👍 Facebook | 💬 Twitter | 📷 Instagram | 📌 Pinterest
🔔 Seja um padrinho! Conheça minha campanha no Padrim

Não é novidade para quem acompanha o mundo dos games que a reputação do Sonic não é das melhores, entretanto, pouca gente sabe que muito do que se fala a respeito do nosso amiguinho não é lá muito verdade. Existe um senso comum que afirma que os jogos do Sonic são ruins e que Sonic em 3D nunca deu certo. Toda vez que falo para alguém que Sonic é a minha franquia de jogos favorita (não só de jogos, já que é uma série multimídia), as pessoas me olham com uma expressão de reprovação: “ah, mas dizem que os jogos do Sonic são ruins”. Eu gentilmente pergunto: “quantos você já jogou?” e 90% das vezes a resposta é “nenhum” ou algum jogo antigo que a pessoa não consegue nem descrever direito. Me pergunto, como que alguém pode afirmar se uma série é boa ou ruim sem nem conhecê-la minimamente.
Uma coisa bem comum também é utilizarem o controverso Sonic the Hedgehog 2006 como exemplo: “Ah, mas tem aquele jogo recente em que o Sonic beija uma princesa”. Para quem não conhece, Sonic 2006, ou simplesmente Sonic ‘06 é um jogo da série que realmente é péssimo, lotado de bugs e gafes, ele é tão ruim que ele atingiu um status lendário e é referência em ruindade ao lado de outros títulos famosos como Superman 64. Entretanto. Sonic 2006 é apenas um jogo e ele já completou quase 15 anos de lançado. Não faz sentido julgar a qualidade de uma franquia inteira com mais de 200 títulos utilizando como base um único jogo que já tem mais de uma década de idade. As pessoas não saem por aí afirmando que Assassin’s Creed é uma série ruim só porque teve um título como Assassin’s Creed Unity que teve problemas com bugs bem similares aos do Sonic 2006.

Então, basicamente, o objetivo deste post é desmistificar todas essas afirmações equivocadas e senso comum sobre a franquia Sonic, expressar minha opinião sobre a real qualidade dos jogos e também discutir algumas críticas bem frequentes que o ouriço azul recebe. O título do post não é click bait, ele tem realmente ligação com a minha linha de raciocínio, continuem lendo para entender. 

“Jogos do Sonic não devem ter enredo”

Sonic Adventure 2 é um dos jogos do Sonic mais amados e que possui um foco grande no enredo.
(Imagem retirada da internet)

A crítica especializada não sabe o que o público quer e, por mais doido que isso possa parecer, é bem real. A maioria dos pontos que são ferrenhamente criticados nos jogos do ouriço e tratados como defeitos são exatamente os diferenciais que os fãs mais gostam. Por exemplo, os críticos costumam afirmar que os jogos do Sonic não devem ter nenhum foco em enredo: “jogos de plataforma não precisam ter histórias, o enredo deve ser apenas uma desculpa para justificar o gameplay”.

Desde os clássicos do Mega Drive, os jogos do Sonic dedicam um certo esforço na apresentação do enredo. Em Sonic CD, existem cutscenes em anime, em Sonic the Hedgehog 3 e Sonic & Knuckles, foram inseridas animações de transição das fases e existe uma certa lógica na sequência das mesmas. A partir de Sonic Adventure para o Sega Dreamcast, tivemos um enredo um pouco mais elaborado dividido pela perspectiva de vários personagens e a inserção de dublagem. As cutscenes possuíam um tom mais cinematográfico contando com coreografia e uma certa direção, que foi aprimorada na sequência Sonic Adventure 2.


Esses pontos estão longe de serem perfeitos nos jogos citados. Em Sonic Adventure e Adventure 2 temos expressões faciais bem esquisitas nos personagens e a dublagem é bem fraca, tanto na atuação quanto na sincronização labial, especialmente em inglês. Os roteiros de ambos os títulos possuem alguns furos aqui e ali, todavia, é inegável que desde muito cedo na série existe um esforço maior para valorizar esse aspecto dos jogos. Além disso, pouquíssimos títulos da época realmente tinham boa dublagem, era uma coisa que ainda estava sendo aprimorada por se tratar de uma novidade. A apresentação do enredo nos jogos do Sonic foi uma coisa que acompanhou o avanço tecnológico dos videogames nesse aspecto, mas sempre esteve presente.

A partir de 2010, com o lançamento de Sonic Colors, a Sega deixou de investir nessa característica dos jogos por influência da crítica especializada. Os dois títulos seguintes, Sonic Generations (2011) e Sonic Lost World (2013), seguiram essa tendência que só foi quebrada recentemente com Sonic Forces (2017). A maioria desses jogos são excelentes, mas basta entrar em qualquer comunidade de fãs do ouriço para testemunhar o quanto os fãs são carentes de enredos mais elaborados tanto no roteiro quanto na apresentação. Um dos jogos mais amados pelos fãs atualmente é Sonic Unleashed (2008) que na época também foi alvo de muitas controversas, mas foi ganhando espaço e respeito do público com o passar dos anos.

Em Unleashed, temos um enredo simples focado em ação, mas que possui um esforço consideravelmente maior em sua apresentação. O jogo começa com uma abertura simplesmente incrível totalmente em CGI com nível de qualidade equiparável a filmes de estúdios como Disney e Pixar. A história possui algumas reviravoltas e inúmeras outras cenas incríveis, como as de encerramento. Depois de Unleashed, absolutamente nenhum jogo do Sonic investiu tanto nesse aspecto, o que é bem triste.

Incrível cena de abertura do Sonic Unleashed, uma das mais memoráveis da série.

Antigamente, os jogos do Sonic possuíam uma certa preocupação em manter coesão e continuidade entre eles, ainda que houvessem alguns deslizes. Por exemplo, em Sonic Adventure 1, Tails é um personagem medroso e muito dependente do Sonic, mas no jogo seguinte, Adventure 2, ele se desenvolve e se torna mais forte e independente sendo responsável por protagonizar algumas cenas importantes do game. O próprio jogo Sonic Adventure é uma sequência direta do Sonic 3 & Knuckles para Mega Drive, já que o vilão Chaos é mencionado no manual japonês do título de 16 bits. Existem algumas confusões quanto a continuidade desses jogos porque nos EUA o enredo dos manuais foi alterado e nele é descrito que Sonic e seus amigos não vivem na Terra, mas em um planeta chamado Mobius. Contudo, o enredo oficial sempre foi o japonês em que Sonic sempre foi habitante da Terra, a história contada nos manuais americanos foi desconsiderada.

Sonic Heroes tem menos conexões porque foi um título desenvolvido para introduzir novos públicos à série, no entanto, ele possui algumas referências a Sonic Adventure 1&2, os jogos imediatamente anteriores. Já Shadow the Hedgehog é uma sequência direta de Heroes, nele Shadow continua seus dilemas existenciais e revisita eventos de Adventure 2, além de ter outras descobertas sobre seu passado. O próximo jogo da série principal foi Sonic the Hedgehog 2006 que considera os eventos do jogo protagonizado pelo Shadow. Então, aqui o ouriço negro já superou suas crises de identidade e agora trabalha para a G.U.N., uma espécie de organização de segurança comandada pelo governo dos Estados Unidos que foi introduzida em Sonic Adventure 2.

Como é possível observar, até Sonic 2006, a série Sonic possuía um certo nível de continuidade entre os jogos. As consequências dos eventos de um eram carregadas para os títulos seguintes, bem como a evolução dos personagens. Existiam alguns furos e inconsistências, mas sim, podíamos afirmar que existia uma lore nos jogos do Sonic. Muitas pessoas afirmam que Sonic 2006 foi uma tentativa de reboot, mas isso é falso, a Sega tratou ele como a promessa de um marco para a série, porém, ele possui conexões bem claras com o enredo de jogos anteriores e até mesmo com a série Sonic Rush de Nintendo DS.

Sonic e princesa Elise em Sonic 2006. (Imagem retirada da internet)

Sonic 2006 teve uma recepção extremamente negativa, tanto da crítica, quanto do público. Um dos pontos que mais controversos foi o enredo que contava com a presença da princesa Elise, uma humana que no decorrer do jogo se torna par romântico do Sonic em cenas melodramáticas extremamente cafonas. O enredo deste jogo não é inteiro de se jogar fora, as campanhas do Silver e do Shadow possuem histórias bem interessantes, todavia, a recepção negativa de 2006 é definitivamente a culpada de a Sega ter matado a continuidade entre os jogos e investido cada vez menos nisso. Sonic Unleashed ainda possui um enredo legal e uma apresentação para lá de maravilhosa, mas ele tem a participação de poucos personagens e não se preocupa em respeitar eventos dos outros jogos, no mapa mundial não existe nenhuma menção à Angel Island e outras localidades de importantes dos títulos anteriores. Se algum jogo deveria ser visto como reboot, seria Sonic Unleashed não 2006.

“Ninguém gosta dos amigos do Sonic”

Está aí outro argumento da crítica especializada que não possui nenhuma conexão com a realidade dos fãs. Eles insistem que os outros personagens da série são irritantes e dispensáveis e, novamente por influência desse tipo de crítica, a Sega passou a desenvolver jogos em que apenas o Sonic é personagem jogável. Sonic and the Secret Rings, Sonic Unleashed, Sonic Colors, Sonic Generations, a maioria dos títulos dos últimos anos são assim. Basta acompanhar qualquer comunidade de fãs para ver o quanto as pessoas são órfãs de poderem jogar com seus personagens favoritos: Tails, Knuckles, Shadow, Blaze e outros.

(Imagem retirada da internet)

Essa crítica também veio da recepção negativa de Sonic 2006. Como vocês podem perceber, a maioria das críticas que os jogos do Sonic recebem não são nada construtivas. Lançaram um jogo 3D ruim? Ah, então Sonic não deve ter jogos em 3D, só é bom no 2D! Um jogo teve enredo mal escrito? Então jogos do Sonic não podem ter enredo, afinal, onde já se viu jogo de plataforma com história!? Ah, em Sonic 2006 temos muito personagens jogáveis, mas isso ficou confuso e exagerado? Conclusão: a Sega deve extinguir todos os personagens da série e voltar a fazer jogos em 16 bits ambientados na Green Hill Zone para toda a eternidade.

Observem as críticas de qualquer jogo do Sonic, elas nunca se atentam aos reais defeitos dos jogos e só sabem espernear sobre o quão melhor seria se o Sonic fosse sempre o mesmo do Mega Drive. Um bom exemplo é o jogo Sonic and the Black Knight, ele foi alvo de controvérsias porque nele Sonic utiliza uma espada derrotar os inimigos. Na minha opinião, este jogo é mediano porque possui designs de levels muito simplistas, porém, ele tem um enredo legal, apresentação incrível, trilha-sonora, ambientação, visuais, etc, maravilhosos. 99% das críticas deste jogo, no entanto, afirmam que ele é ruim porque Sonic usa uma espada e pronto e acabou: “Sonic não pode usar espadas”. Nada mais importa além do fato de o Sonic estar usando uma espada, não é doido? Onde estão os critérios objetivos por trás desse tipo de afirmação? Simplesmente não existem...

“Jogos de plataforma não podem ter visuais realistas”

Fase Dragon Road em Sonic Unleashed HD. (Imagem retirada da internet)

Visuais são um dos pontos mais fortes dos jogos do nosso querido ouriço. Quase todos eles possuem gráficos excelentes e um destaque importante são as escolhas de temas para as fases, os jogos modernos quase sempre são bem criativos nesse aspecto. Em Sonic and the Secret Rings, temos uma fase que é um cemitério de navios, em Sonic Unleashed elas são inspiradas em pontos turísticos famosos, como a fase Dragon Road que é baseada na Grande Muralha da China. Sonic Colors, por sua vez, tem uma fase que é uma montanha-russa interplanetária. Contudo, até isso é tratado como defeito pelos críticos.

Eles argumentam que jogos de plataformas devem ter visuais cartunescos, imaginativos e não realistas como na maioria dos jogos do Sonic. Eles consideram que os visuais de Sonic Unleashed e outros não respeitam a “essência” da série que deveria ser ter cenários coloridos como os clássicos do Mega Drive para sempre.

A crítica especializada também insiste na inserção de elementos nostálgicos da época do Mega Drive o tempo inteiro. Por influência disso, nos tivemos uma overdose de Green Hill Zone e Chemical Plant, duas fases adoradas pelos fãs classistas que são forçadamente inseridas em tudo quanto é jogo moderno do Sonic para que os críticos possam reconhecer alguma coisa oriunda da geração Mega Drive ali. A presença desnecessária do Sonic clássico em Sonic Forces se dá pelo mesmo motivo.

Gameplay da fase Dragon Road em Sonic Unleashed HD.

Os jogos do Sonic são criticados simplesmente por não serem como os do Mario

Se analisarmos tudo o que todas essas críticas recorrentes que Sonic recebe tem em comum, facilmente podemos identificar que elas são baseadas em um ideal que vem dos jogos do Mario. Os títulos do encanador italiano possuem todas essas características: a maioria deles possuí pouco ou nenhum foco em enredo, Mario é um personagem mudo que não possui personalidade, apenas repete bordões, os visuais dos jogos do Mario tem cenários coloridos e cartunescos e geralmente repetem os mesmos temas sempre: fase de praia, fase de lava, fase de deserto (com exceção de alguns jogos 3D principais como Super Mario Galaxy e Super Mario Odyssey). A série Mario possui bastante foco em reciclagem de elementos nostálgicos, os 4 jogos da série New Super Mario Bros são extremamente parecidos e repetem até mesmo a mesma trilha-sonora. 

(Imagem retirada da internet)

A Sega acabou fazendo um jogo do Sonic exatamente assim e esse jogo foi Sonic Lost World (2013) lançado exclusivamente para Nintendo Wii U e PC. Ele possui visuais cartunescos, pouco foco no enredo, apenas Sonic como personagem jogável e os temas dos cenários das fases são os mesmos dos jogos da série New Super Mario Bros. Contudo, todos esses pontos que são vistos como virtudes nos jogos do bigodudo e que eram tratados como desejáveis em jogos do Sonic foram encarados como defeitos de todo jeito.

Eu adoro os jogos do Mario, meus favoritos são Super Mario Bros 3, Super Mario 3D Land e Super Mario Galaxy 1&2. Apesar de preferir o Sonic, gosto muito de jogos de plataforma e o bigodudo é referência de qualidade no gênero sem sombra de dúvidas, mas eu queria saber quem definiu que só existe um jeito certo de se fazer jogos desse gênero. Que todos eles devem obrigatoriamente seguir a fórmula do Mario. Se Sonic fosse igual Mario ele nem teria porque existir, é exatamente por isso que franquias diferentes nascem: pessoas tem preferências diferentes.

Provavelmente os fãs do encanador estão totalmente contentes com a forma que a Nintendo desenvolve seus jogos, mas os fãs do Sonic não gostam das mesmas coisas que eles nos jogos do Sonic. O ouriço nunca foi um personagem mudo, ele sempre teve uma personalidade bem definida retratada desde os anos 90 em desenhos animados, quadrinhos e posteriormente nos jogos conforme a tecnologia permitiu. Sonic sempre teve temas de cenários de fases diferentes sem seguir exatamente um padrão e desde os 16bits já começou a introduzir texturas mais realistas, como já pode-se observar em Sonic the Hedgehog 3 em fases como Angel Island. A franquia também, na maior parte do tempo, se esforçou para oferecer uma apresentação mais elaborada do enredo dos jogos.

Sonic Lost World tem muitos elementos de jogos do Mario. (Imagem retirada da internet)

Conclusão

Existem alguns jogos ruins do Sonic, os maiores exemplos são os famigerados Sonic 2006 e Shadow the Hedgehog e os outros jogos não são perfeitos, porém, a maioria é ótima. A crítica especializada, de modo geral, é bem desconectada do que os fãs do ouriço realmente esperam em um jogo do azulão. Questões que são tratadas como pontos negativos, na maioria das vezes são as que os fãs mais gostam e as que diferenciam Sonic dos demais jogos do gênero.

Sonic Unleashed lançado em 2008 é um dos jogos mais vendidos da história da franquia com mais de 5 milhões de cópias e até hoje é um dos títulos mais populares na fanbase. Ele é um dos que mais gera engajamento nas redes sociais e no Youtube, mesmo 12 anos depois do seu lançamento. Na época que ele saiu, foi extremamente criticado, porém, um caso bem curioso é a análise publicada pelo portal IGN que deu uma nota baixíssima e fez críticas bem pesadas. O vídeo dessa análise no canal deles do Youtube possui pouco menos de mil likes, mas impressionantes 10 mil dislikes demonstrando que a opinião dos fãs e do público sobre o jogo é completamente diferente.

Análise da versão HD de Sonic Unleashed pelo portal IGN possui 10 mil dislikes.

A recepção da crítica, na verdade, tem mais a ver com a reputação da franquia do que com a qualidade real dos jogos e, ela estar ruim, em partes é culpa da própria Sega que realmente cometeu alguns deslizes bem graves. Se Sonic 2006 nunca tivesse existido, talvez hoje em dia não fosse comum alguém acreditar que os jogos do Sonic são ruins mesmo sem conhecê-los. Esse título fez um estrago tão grande na imagem do ouriço que quase 15 anos depois ela não foi completamente recuperada. Entretanto, é importante separar as coisas.

Não deixe de aproveitar e conhecer os jogos do Sonic porque o senso comum diz que eles não são bons. Se os jogos do ouriço fossem tão ruins, a série não teria sobrevivido tanto tempo com lançamentos praticamente anuais e não seria uma das franquias mais valiosas do mundo dos games com mais de 360 milhões de cópias vendidas (a maioria de jogos em 3D). Também não teria uma legião tão fiel de fãs apaixonados ao redor do mundo.

Me digam nos comentários se vocês também são fãs do ouriço, se concordam ou discordam com esses pensamentos que as pessoas tem a respeito dos jogos dele e se vocês estão ansiosos para o novo filme 😇



Comentários

  1. Sonic sempre foi e sempre vai ser meu personagem favorito, tanto que tenho ele gravado na minha pele, mas a sega errou d+ com nosso ouriço favorito, tentando deixar ele parecido D+ com o Mario, introduzindo mecânicas de jogo lentas, que tornam os jogos arrastados. Sonic 2 em minha opinião é o melhor de todos eles, por ser um jogo extremamente rápido assim como o próprio Sonic, ja em Sonic Unleashed quando Sonic se transforma em Lobsomem eles quebram a continuidade do jogo, transformam em um jogo lento, arrastado. Na época jogos com Parkout estavam em alta, e até hoje são consideradas mecânicas de jogo que tornam o jogo mais diversificado e permitem níveis diferentes de exploração e novas possibilidades, fico pensando que Eggman poderia ter transformado o Sonic em um humano ainda dotado de habilidades e agilidade sobrehumana, o jogo teria ainda sua mudança de mecânica mas não teria tornado o jogo arrastado d+.
    Sonho em um dia poder jogar um Jogo do Sonic que realmente me transporte a minha infância e que me faça querer jogar mais e mais, explorando todas as possibilidades existentes como fazia em Sonic 2.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoro Sonic 2, também, mas não tenho tanta nostalgia por um ponto específico da história da série. Eu gosto de novidade e os títulos que me atraem são os que trazem coisas novas. Não nessa coisa da mudança de gameplay, mas em cenários, músicas, enredos, vilões, etc.

      Também não sou muito fã do lobisonic, mas Sonic Unleashed é um dos meus jogos do Sonic modernos favoritos porque ele é mais longevo, desafiador e tem um enredo e apresentação do enredo incríveis. O final é bem épico.

      Excluir
  2. Eu não sou fã do Sonic, e joguei poucos jogos dele, porém eu gosto do personagem e de alguns jogos, ou seja, sou bem casual quando se trata do ouriço.

    Eu já vi diversos vídeos que analisam os jogos do Sonic e o que aconteceu na transição do 2D para o 3D, e teve uma frase que achei bem interessante: "A Nintendo adaptou o Mario ao 3D e a Sega adaptou o 3D ao Sonic", pois a principal característica/gimmick dos jogos do Sonic é a velocidade, para se manter a velocidade a Sega teve que manter o estilo de fase mais "tradicional" que vão do ponto A ao B, enquanto o Mario tomou um caminho totalmente diferente onde é mais para o mundo aberto (não quero tentar comparar Sonic ao Mario, porém é praticamente impossível por ele ser referência no gênero e por feito uma transição do 2D para 3D praticamente perfeita).

    E de um ponto de vista de design, a velocidade não faz mais tanto sentido, pois na gerações anteriores os jogos podiam terminar em 30 minutos e tudo bem, e mais gerações posteriores ao 3D os jogos tinham que durar horas, se não não valeria a pena comprar um jogo curto, por isso foi necessário introduz mais personagens e outras campanhas para aumentar o tempo de jogatina dos jogos 3D do Sonic, além da fazer histórias mais complexas (como citei no início, eu não sou fã do Sonic, então na minha visão de fora acho essas histórias mais complexas e sérias desnecessárias, porém não leve a minha opinião a sério). Em outras palavras a principal característica do Sonic é o principal elemento que limita o level design e o jogo em si.

    Sonic '06 é o ponto principal quando se trata de jogos ruins baseado no ouriço, claro que tem outros (estou pensando no port do Sonic 1 para o GBA), e jogos nunca serão perfeitos, às vezes eu tenho a impressão que muitos fãs da fanbase do Sonic são exigentes demais (me lembro de uma discussão que surgiu na época do Sonic 4, que alguns fãs estavam reclamando da forma da animação do Sonic correndo), o que ajuda a diminuir o aproveitamento dessas pessoas dos jogos novos.

    Eu acho (gosto pessoal) que o Sonic combina bem mais com os jogos 2D do que os 3D. Sonic mania é o maior exemplo disso, e o maior sucesso do Sonic anos últimos anos, muito bem avaliado e recebido pela público e critica, sendo que é um jogo feito pelos fãs. Acredito que na fanbase tenha os fãs que gostam mais dos jogos 3D e outros gostam mais do 2D, mas acho que os jogos 2D combinem mais com o ouriço.

    Gostei do seu texto e é bom ouvir outros pontos de vistas, apesar de não ser fã do Sonic, eu quero compreender o que aconteceu com ele na transição de dimensões.

    https://www.n64brasil.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas por que o Mario ser diferente do clássico é tratado como virtude, enquanto quando o Sonic é diferente do de Mega Drive isso é tratado como problema?

      Essa afirmação sobre a transição do Sonic em 3D é parcialmente verdade. O Sonic Adventure 1, o primeiro jogo 3D, possui um mundo aberto onde a história do jogo se passa dividido em três localidades chamadas Adventure Field, ela é um Hub onde temos acesso as fases e também onde encontramos Power ups. Além disso, as fases do Sonic são de exploração e foram inspiradas em Mário 64.

      Excluir
    2. Obrigado pela visita, vou conferir seu blog também 🤗

      Excluir
    3. Correção, ali em cima eu falei "as fases do Sonic são de exploração inspiradas em Mário 64", na verdade eu estava me referindo as fases do Knuckles. Nela ele precisa explorar a fase em busca dos fragmentos da Master Emerald em um estilo de fase que foi inspirado em Mário 64, isso foi confirmado pela equipe da Sonic Team.

      Excluir
  3. Opa e ai, muringa aqui, li o artigo todo, devo ser um dos poucos q gosta de sonic 2006, de fato as críticas ao Sonic não são nada construtivas. Sobre a questão de mobius, ela e bem controversa, o próprio mala já falou q a Green Hill n e na Terra, pra.mim Sonic sempre foi um ET,e no adventure1 o próprio tails fala q.o mundo deles foi trazido pela master emerald. Parabéns pelo artigo, tenho um canal de games, uma parceria interessa pra você?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, eu nunca gravei vídeos, mas quem sabe :O. Me manda e-mail: garotodeoutroplaneta@gmail.com

      Excluir

Postar um comentário

Dica: clique em "notifique-me" para que você seja avisado(a) por e-mail quando eu responder seu comentário ❤