Terapia psicanalítica apresenta bons resultados (Estudo)

(Imagem retirada do site UIhere)

Atenção: texto publicado originalmente no site da American Psychological Association (APA), principal órgão científico da área da psicologia nos Estados Unidos e um dos principais no mundo. Lá, também é possível ter acesso à pesquisa completa. Tradução abaixo feita por mim.

Siga nas redes sociais: 
👍 Facebook | 💬 Twitter | 📷 Instagram | 📌 Pinterest
🔔 Seja um padrinho! Conheça minha campanha no Padrim

"Psicoterapia psicodinâmica apresenta benefícios duradouros através do autoconhecimento

A psicoterapia psicodinâmica apresenta alta eficácia para uma ampla gama de sintomas de saúde mental, incluindo depressão, ansiedade, pânico e doenças físicas relacionadas ao estresse, e os benefícios da terapia aumentam após o término do tratamento, de acordo com uma nova pesquisa publicada pela American Psychological Association.

A terapia psicodinâmica foca nas raízes psicológicas do sofrimento emocional. Suas características são a auto-reflexão e o auto-exame, e o uso do relacionamento entre terapeuta e paciente como uma janela para padrões problemáticos de relacionamento na vida do paciente. Seu objetivo não é apenas aliviar os sintomas mais óbvios, mas ajudar as pessoas a levar uma vida mais saudável.

"O público americano foi informado de que apenas tratamentos mais recentes, focados em sintomas, como terapia cognitivo-comportamental ou medicamento, têm apoio científico", disse o autor do estudo Jonathan Shedler, PhD, da Escola de Medicina da Universidade do Colorado em Denver. “As evidências científicas reais mostram que a terapia psicodinâmica é altamente eficaz. Os benefícios são pelo menos tão grandes quanto os de outras psicoterapias e duram. ”

Para chegar a essas conclusões, Shedler examinou oito meta-análises, compreendendo 160 estudos de terapia psicodinâmica, além de nove meta-análises de outros tratamentos psicológicos e medicamentos antidepressivos. Shedler focou na taxa de eficácia, que mede a quantidade de mudança produzida por cada tratamento. Uma taxa de eficácia de 0,80 é considerada alta na pesquisa psicológica e médica. Uma meta-análise importante sobre a terapia psicodinâmica incluiu 1.431 pacientes com uma série de problemas de saúde mental e obteve uma taxa de eficácia de 0,97 para a melhora geral dos sintomas (a terapia era tipicamente uma vez por semana e durava menos de um ano). A taxa aumentou em 50%, para 1,51, quando os pacientes foram reavaliados nove ou mais meses após o término da terapia. A taxa de eficácia dos medicamentos antidepressivos mais amplamente utilizados é de um mais modesto 0,31. Os resultados foram publicados na edição de fevereiro da American Psychologist, a principal revista da American Psychological Association.

As oito metanálises, representando as melhores evidências científicas disponíveis sobre terapia psicodinâmica, mostraram benefícios substanciais ao tratamento, de acordo com Shedler. As taxas de eficácia são impressionantes, mesmo para transtornos de personalidade - traços desadaptativos profundamente arraigados que são notoriamente difíceis de tratar, disse ele. "A tendência consistente para taxas de eficácia maiores no acompanhamento sugere que a psicoterapia psicodinâmica aciona processos psicológicos que levam a mudanças contínuas, mesmo após o término da terapia", disse Shedler. "Por outro lado, os benefícios de outras terapias 'baseadas em evidência' tendem a diminuir ao longo do tempo para as condições mais comuns, como depressão e ansiedade generalizada".


“As empresas farmacêuticas e as empresas de seguros de saúde têm um incentivo financeiro para promover a visão de que o sofrimento mental pode ser reduzido a listas de sintomas, e que tratamento significa administrar esses sintomas e pouco mais. Para algumas condições psiquiátricas específicas, isso faz sentido ”, acrescentou. "Mas, com mais frequência, o sofrimento emocional é entrelaçado no tecido da vida da pessoa e enraizado em padrões de relacionamento, contradições internas e pontos cegos emocionais. É para isso que a terapia psicodinâmica é projetada para lidar. ”

Shedler reconheceu que há muito mais estudos de outros tratamentos psicológicos (além da psicodinâmica) e que os desenvolvedores de outras terapias assumiram a liderança no reconhecimento da importância de uma rigorosa avaliação científica. "A responsabilidade é crucial", disse Shedler. "Mas agora que a pesquisa está testando a terapia psicodinâmica, não estamos vendo evidências de que as terapias mais recentes sejam mais eficazes."

Shedler também observou que a pesquisa existente não captura adequadamente os benefícios que a terapia psicodinâmica visa alcançar. “É fácil medir mudanças nos sintomas agudos, mais difícil mensurar mudanças mais profundas na personalidade. Contudo, isto pode ser feito."

A pesquisa também sugere que, quando outras psicoterapias são eficazes, pode ser porque elas incluem elementos psicodinâmicos não reconhecidos. "Quando você examina as outras abordagens de psicoterapia e observa o que os terapeutas delas estão realmente fazendo, verifica-se que eles se trata do que os terapeutas psicodinâmicos sempre fizeram - facilitando a auto-exploração, examinando pontos cegos emocionais, entendendo os padrões de relacionamento." estudos de terapia para depressão usaram gravações reais de sessões de terapia para estudar o que os terapeutas disseram e fizeram que foi eficaz ou ineficaz. Quanto mais os terapeutas agem como terapeutas psicodinâmicos, melhor o resultado, disse Shedler. "Isso era verdade, independentemente do tipo de terapia que os terapeutas acreditavam estar fornecendo"."

Observação: "psicodinâmicas" são como são chamadas as formas contemporâneas de psicoterapias de base psicanalítica fundamentadas nas teorias o Freud, Lacan, Melanie Klein, C.G. Jung e outros teóricos psicanalistas e/ou dissidentes.


Perguntas frequentes

1 - Esses resultados poderiam ser efeito placebo?
R: Não, a pesquisa comparou a taxa de eficácia dessa forma de terapia com a de outras, com medicamentos e também com procedimentos neutros (placebo). O resultado indica que ela possui uma taxa bem acima do placebo e bem alta dentro da média de eficácia de tratamentos psicológicos e médicos. Além disso, quando os pacientes foram analisados meses depois do término do tratamento, seus sintomas continuaram diminuindo.


2 - Essa pesquisa avaliou apenas psicoterapia de curto prazo?
R: Não, duas das meta-análises compiladas por esse estudo contemplam psicoterapia de longo prazo (em média 150 sessões). A taxa de eficácia também foi alta, os pacientes foram analisados cerca de 3 anos após o fim do tratamento e novamente os resultados indicam que eles continuaram melhorando.




Comentários

  1. Eu adorei o texto, principalmente pelo fato de amar a área da psicanálise. Eu gosto muitíssimo de fazer autoanálise, justamente porque me ajuda a refletir sobre os acertos e os erros no decorrer de um dia. Gostei muito, também, do texto ser uma tradução de um texto de um órgão de renome e não, meros achismos like coaching. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como já dizia Jung: "Até você se tornar consciente, o inconsciente irá dirigir sua vida e você vai chamá-lo de destino."

      Excluir
  2. Excelente texto! Achei super interessante conhecer esse estudo sobre a alta eficácia da terapia psicanalítica. Entre outras informações dadas aqui, através das pesquisas. Eu realmente acredito que o autoconhecimento é o melhor caminho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei útil publicar isso porque é comum pessoas aparecerem alegando que esse tratamento é ineficaz ou placebo. Esse estudo comprova o contrário.

      Excluir
  3. Oi, tudo bem? Muito interessante esse tema. Uma amiga sempre diz que todos deveriam fazer terapia. Conversar, desabafar e olhar para dentro, tudo isso nos faz descobrir o que está acontecendo com a gente e nos faz crescer. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Terapia propícia mais qualidade de vida. Autoconhecimento é sempre bom.

      Excluir
  4. Olá! Tudo bem?

    Como psicóloga clínica (de orientação psicanalítica) e social, acho sempre muito importante rebatermos as duras críticas que abordagens como a psicanálise sofrem de outras com base um tanto mais cientificista. Foi uma ótima iniciativa a sua, de traduzir o artigo e publicá-lo aqui! Algumas fontes, porém, afirmariam que existe uma diferença entre a psicoterapia dinâmica e a psicanalítica - especialmente no que tange a questão da duração do tratamento.

    Abraços,
    Literalize-se

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, tudo sim e com você? Obrigado pela visita!

      Essa pesquisa que eu traduzi compreende tratamentos de curto e longo prazo. Uma das meta-análise compiladas por ela examina tratamentos de em média 150 sessões, que também apresentaram uma boa taxa de eficácia nesses casos. A taxa de eficácia também subiu quando os pacientes foram examinados após o final do tratamento, demonstrando que os resultados são duradouros mesmo.

      Eu já pesquisei bastante sobre essa questão da diferença entre psicoterapia psicanalítica e psicodinâmica e não existe exatamente um consenso. Algumas pessoas utilizam o termo "psicodinâmica" para se referir a um tipo específico de psicoterapia psicanalítica, enquanto outras utilizam como termo guarda-chuva que engloba todas as formas de psicoterapias psicanalíticas. O nome "psicodinâmica" vem do fato que ela trabalha com o inconsciente e o dinamismo do aparelho psíquico, elas também são chamadas psicoterapias de orientação analítica.

      Existem muitos tipos de psicoterapias psicanalíticas, temos a análise tradicional com divã, a psicoterapia de orientação psicanalítica, a psicoterapia psicanalítica breve. Então, fica um pouco complicado tratarmos como se "terapia psicanalítica" fosse exclusivamente uma ou outra. A psicanálise é o corpo teórico e a partir desse corpo teórico, foram desenvolvidas inúmeras técnicas diferentes, como você já deve ter conhecimento já que trabalha com orientação psicanalítica.

      Assim como existe diferença entre behaviorismo e análise comportamental. O behaviorismo é o corpo teórico, enquanto a análise comportamental é a técnica de psicoterapia baseada nele.

      Cada uma dessas técnicas visa objetivos diferentes. A orientação psicanalítica é mais breve e objetiva, mais indicada para tratamentos de transtornos mentais porque tem intervenções mais imediatas. A análise tradicional é mais indicada para autoconhecimento e a psicoterapia psicanalítica breve é indicada para casos mais emergenciais, como lidar com um paciente que está apresentando risco iminente de suicídio.

      Na prática, todas essas técnicas se misturam. Um paciente pode iniciar o tratamento com terapia breve, ela evoluir para uma orientação psicanalítica e futuramente ir se tornando uma análise. Pode acontecer também de um paciente estar fazendo análise, mas seu terapeuta precisar utilizar técnicas da orientação psicanalítica ou da terapia breve caso o quadro desse paciente varie. Essas distinções existem mais na teoria.

      Excluir

Postar um comentário

Dica: clique em "notifique-me" para que você seja avisado(a) por e-mail quando eu responder seu comentário ❤