Saga Epic Mickey: o lado sombrio do herói da Disney

(Imagem retirada da internet)

Se você é uma pessoa que teve contato com videogames antigos como Master System, Mega Drive, Super Nintendo e até mesmo o primeiro Playstation, deve se lembrar que naquela época a Disney tinha uma presença considerável dentro desse mercado. Desde jogos originais estrelados por personagens como Mickey, Tio Patinhas e Donald, até adaptações impecáveis dos clássicos de animação como Rei Leão, Aladdin e Pocahontas.

Siga nas redes sociais:
👍 Facebook | 💬 Twitter | 📷 Instagram | 📌 Pinterest

O jogo Castle of Illusion, estrelado por Mickey Mouse e fortemente inspirado por clássicos da Diney como A Branca de Neve, foi o primeiro jogo de plataformas a apresentar riqueza de animações no personagem. O icônico camundongo era extremamente expressivo e os cenários pareciam vivos.

Primeiro grande jogo da era 16 bits, um clássico atemporal. (Imagem retirada da internet)

Castle of Illusion fez parte de uma iniciativa da Sega de adquirir licenças de personagens populares no mercado americano, a fim de tornar seu novo console Mega Drive (lá chamado de Genesis) mais atrativo ao público dos Estados Unidos. Foram feitas desde parcerias com figuras populares do mundo dos esportes, personalidades como Michael Jackson e personagens queridos como Mickey e Donald. O sucesso da parceria com a Disney foi tão grande que foram feitos outros jogos licenciados tanto para Mega Drive quanto para Master System e o portátil Game Gear.

Outro clássico da Disney no mundo dos games é a versão de Aladdin para Mega Drive que revolucionou ao introduzir uma nova forma de animar sprites denominada digicel com envolvimento direto da equipe de animadores da empresa.

Versão de Mega Drive de Aladdin fez história.
(Imagem retirada da internet)

Contudo, não foi só em plataformas da Sega que o universo Disney brilhou. Também houve vários títulos desenvolvidos pela Capcom para plataformas Nintendo, como a trilogia Magical Quest estrelando Mickey, Minnie e Donald. Bem como Mickey Mania: The Timeless Adventures of Mickey Mouse, jogo multiplataforma que é um passeio por toda a trajetória do personagem.

Longplay de Mickey Mania no Super Nintendo.

No entanto, os anos foram passando e essa glória foi ficando no passado. As adaptações de filmes da Disney para videogame passaram a ser títulos fracos com baixo orçamento apenas pegando carona na popularidade dos longas. Mickey estrelou títulos de qualidade duvidosa como Disney's Magical Mirror e Disney Hide and Sneak desenvolvidos pela Capcom para Game Cube. O último jogo relevante foi Disney's Donald Duck: Goin' Quackers, jogo multiplataforma inspirado por Crash Bandicoot que é muito divertido. Uma exceção fica para a franquia Kingdom Hearts em parceria com a desenvolvedora Square Enix que possui muitos títulos de sucesso.

A promessa de reestabelecer a glória do passado

(Imagem retirada da internet)

Então, na década de 2010, a Disney promoveu uma série de iniciativas para mudar essa realidade. Entre elas estiveram a franquia Disney Infinity e a série Epic Mickey. De acordo com o diretor Warren Spector para a Gameinformer:
"Nosso principal objetivo é revigorar o Mickey Mouse. Ele é um ótimo personagem, um dos mais populares do cinema nos últimos 80 anos, porém, atualmente ele é mais conhecido por ser um ícone em uma camiseta ou o boneco de pelúcia de uma criança. O nosso primeiro trabalho é relembrar a todos que Mickey costumava ser um herói de ação, uma estrela capaz de fazer coisas maravilhosas e impossíveis. Ele também era danado e não costumava ser esse cara sempre feliz, correto e educado que conhecemos hoje em dia. Queremos trazer esse heroísmo de volta e sim, também um pouco dessas falhas e comportamentos ruins. Acreditamos que o Mickey pode ser tão relevante para os gamers hoje como ele foi para todos os espectadores no cinema dos anos 20 e 30."
Outra novidade é que Epic Mickey seria a primeira obra utilizando Oswald the Lucky Rabbit após os direitos do personagem terem sido readquiridos pela Disney em 2006. Oswald foi o primeiro mascote de Walt Disney, ele havia perdido os direitos para a Universal nos primeiros anos de seu estúdio devido a um golpe contratual que sofreu.

Walt Disney e seus dois "filhos", Mickey Mouse e Oswald the Lucky Rabbit.
(Imagem retirada da internet)

No enredo do jogo, Mickey é transportado através de um espelho em sua casa para um lugar mágico, a oficina do feiticeiro Yen Sid do icônico longa Fantasia (1940). O misterioso mago estava pintando uma maquete de um parque de diversões muito parecido com a Disneyland. Ele sai e deixa seu pincel mágico em cima da mesa. Curioso, o camundongo pega o pincel e tenta desenhar um autorretrato de si mesmo, mas acaba fazendo um monstro de tinta assustador. Desesperado, Mickey esbarra na lata de tinta e de solvente que estavam em cima da mesa e tenta apagar o monstro com solvente. Ao perceber que o feiticeiro estava retornando, o rato corre e retorna para sua casa através do espelho de onde veio.

Mickey segue sua vida e, talvez já tivesse até esquecido da confusão que provocou. Até que um dia enquanto estava dormindo, o terrível monstro que ele havia criado aparece em sua casa e o sequestra para dentro do espelho e para dentro da maquete que o mago havia criado. Enquanto estava sendo arrastado pelo monstro, Mickey consegue pegar o pincel mágico que ainda estava na mesa ao lado da maquete.

Cena de introdução completa.

Ela, na verdade, é um mundo que o feiticeiro havia criado para personagens de desenhos animados esquecidos e a bagunça que Mickey fez transformou o lugar em um pesadelo pós-apocalíptico chamado Cartoon Wasteland. Agora Mickey vai ter que lidar com as consequências de suas ações, tentar arrumar o estrago que causou e encontrar seu caminho de volta para casa.

Versão distorcida do parque da Disney

(Imagem retirada da internet)

Wasteland é uma versão sombria e retorcida da Disneyland. Locais famosos do parque recebem versões equivalentes macabras. Como a Main Street (rua principal) que em Epic Mickey se chama "Mean Street" (rua má). De acordo com Warren Spector, novamente em sua entrevista para Gameinformer, o parque da Disney foi reimaginado para que todos os lugares parecessem épicos e ameaçadores.

Os moradores de Wasteland são personagens criados por Walt Disney que foram esquecidos pelo público ou pelo próprio estúdio no decorrer dos anos. Entre eles estão Clarabelle the Cow, Horace Horsecollar, o Mad Doctor e Oswald, o primeiro residente. O coelho cultiva uma rivalidade por ter sido substituído por Mickey.

Concept art de Mickeyjunk Montain. (Imagem retirada da internet)

Um dos cenários mais interessantes de Wasteland, na minha opinião, é Mickeyjunk Montain, uma montanha feita de brinquedos e produtos antigos relacionados ao camundongo.

Mickey andando por cima de cartuchos seus jogos antigos em Mickeyjunk Montain.
(Imagem retirada da internet)

Jogabilidade e sequências



Epic Mickey é um jogo de ação, aventura e plataforma 3D lançado para Nintendo Wii fortemente inspirado por títulos como Banjo, Mario 64 e a série The Legend of Zelda. Devemos explorar os cenários macabros de Wasteland superando obstáculos, enfrentando inimigos e resolvendo enigmas com ajuda do pincel mágico do Mickey.

Com esse pincel, o camundongo consegue pintar ou apagar elementos do cenário. Também podemos ou apagar os inimigos com o solvente, ou torná-los amigáveis com a tinta. O jogo possui um sistema de moralidade simples semelhante ao do jogo Shadow the Hedgehog, porém, bem interessante. Caso o Mickey utilize mais o solvente, mate os inimigos ao invés de torná-los amigáveis, isso afeta a forma como os NPCs lidam com ele e até mesmo o desenrolar da trama levando a finais diferentes. Até mesmo a forma que você escolher resolver algumas sidequests ou derrotar os bosses influencia nesse sentido.

O primeiro Epic Mickey foi lançado exclusivamente para o Nintendo Wii em 2010 e fez um sucesso considerável tendo vendido aproximadamente 2 milhões de cópias. Por conta disso, a série recebeu mais dois capítulos. Epic Mickey 2: The Power of Two para Nintendo Wii, Wii U, Xbox 360, PS3 e PC e Epic Mickey: Power of Illusion para Nintendo 3DS.


Epic Mickey 2 possui a mesma jogabilidade do primeiro, mas uma série de novidades. Primeiro, agora é possível jogar multiplayer cooperativo com a tela dividida, o primeiro jogador controla o Mickey e o segundo o Oswald. Os mapas de Wasteland também foram bastante expandidos com mais segredos. Os impactos da ação do jogador ao apagar elementos dos cenários também são mais significativos. Por exemplo, se você apagar alguma coisa errada, pode ser impossibilitado de acessar algum local ou concluir alguma quest. Foram inseridos algumas mecânicas diferentes, como uma tinta que deixa Mickey invisível ou um que permite que ele passe por alguns obstáculos sem receber danos.

A apresentação do enredo foi consideravelmente melhorada também. Agora as cutscenes possuem dublagem e as animações, tanto das cenas em 2D quanto das cenas em 3D possuem visivelmente um valor de produção maior. O ponto polêmico é que o jogo possui algumas cenas em que os personagens estrelam números musicais.


Já o de Nintendo 3DS é um jogo de plataformas 2D fortemente inspirado pelo clássico Castle of Illusion, inclusive, compartilha algumas faixas de sua trilha sonora, bem como efeitos sonoros similares. Contudo, possui alguns enigmas e mecânicas que utilizam o pincel na touch screen. Os gráficos são bem bonitos e coloridos, especialmente pelo efeito 3D do aparelho..

Charme puro, pena que é muito curto. (Imagem retirada da internet)

Infelizmente, o segundo episódio da série teve vendas insatisfatórias fazendo com a franquia fosse completamente cancelada. Havia planos para o lançamento de um Epic Mickey 3, um jogo solo estrelado pelo Donald e um spin-off de corrida no estilo Mario Kart.

Adaptações


Epic Mickey recebeu adaptações para os quadrinhos que foram publicadas aqui no Brasil pela editora Abril. Infelizmente, só é possível encontrar esses exemplares em sebos hoje em dia. A arte é bem bonita as edições também incluem algumas informações sobre os bastidores dos jogos. É bem interessante! Se você é fã da Disney ou de quadrinhos nesse estilo, vale a pena dar uma conferida, especialmente na graphic novel do primeiro jogo.

A arte é muito bonita! (Imagem retirada da internet)

Concluindo

(Imagem retirada da internet)

Epic Mickey foi uma das iniciativas mais ousadas e criativas envolvendo o mascote da Disney. Lembro-me da época que eu li a preview desse jogo em uma revista Nintendo World e como fiquei empolgado. Amei todos os capítulos e cultivo um carinho especial, especialmente pelo primeiro jogo que, na minha opinião, possui uma história muito interessante, sombria e épica. Acho que vou passar o resto da vida imaginando como seria o jogo solo do Donald que foi cancelado.

As adaptações em quadrinhos também são muito legais, seria interessante ver outras obras ambientadas nesse universo, só resta sonhar…

E você? Já jogou Epic Mickey? Gosta do personagem? Comente abaixo, vou adorar saber!


Conheça também o meu outro blog focado em conteúdos sobre a franquia Sonic the Hedgehog.

Comentários

  1. A infância dos meus filhos , tiveram os jogos de vídeo game ilustrados pelos personagens da Disney , jogos saudáveis para as crianças, hoje vejo meus netos com jogos como GTA, infelizmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior é que GTA é um jogo classificado para maiores de idade :(

      Excluir
  2. Eu tive um Super Nintendo e jogava muito, mas não lembro de jogar nenhum jogo com personagens da Disney, exceto Aladdin. Gostei da ideia do Epic Mickey, não conhecia, e pelas imagens do post os gráficos são muito bonitos e a história em si também é interessante. E, gente, eu nunca tinha ouvido falar de Oswald the Lucky Rabbit!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Walt Disney perdeu os direitos desse personagem para a Universal, posteriormente ele foi inserido na Turma da Pica-pau. Foi caindo no ostracismo e a Disney conseguiu adquirir os direitos dele de novo. Esse jogo foi o primeiro produto que a Disney fez com o personagem depois disso.

      Excluir
  3. Nossa! Fiquei apaixonada! Deu muita vontade de conhecer esse Mickey sombrio!
    O Alladin eu joguei algumas vezes na infância, mas eu sempre joguei muito mal e acredito que não mudei muito com o passar dos anos nessa questão.

    ResponderExcluir
  4. Que post mais interessante. Eu já tinha ouvido falar desse jogo do Aladdin porque estava vendo um vídeo de teoria sobre ele se passar no futuro depois que o mundo meio que acabou hahaha. Mas não conhecia esses do Mickey e, confesso, mesmo com essas coisinhas meio creepy, eu fiquei curiosa. Eu já acho o filme Fantasia meio doido, então saber dessa ligação entre o jogo e o filme me deixou ainda com mais vontade jogar :)

    ResponderExcluir
  5. Não sou adepto de jogos, mas fiquei curioso em saber como que é esse lado sombrio do Mickey, a foto acima pelo menos me deu arrepio, imagina o jogo em si.

    ResponderExcluir
  6. Interessante esse game "novo" (até já adicionei a versão para PC na minha lista de desejados na Steam *-*)
    Os mais antigos eu nunca joguei, mas tenho grande curiosidade (pelo emulador mesmo) por causa de um amigo que AMA esses games e vive comentando comigo deles ^^'
    Adorei o post (inclusive vou indicar a este amigo que curte games antigos).
    Beijinhos e boa semana.
    Isabelle
    https://blogalgodotipo.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. Não sou muito de jogos mas confesso que fiquei encantada com essa premissa de uma Disney reversa! Fiquei imaginando que daria um filme e tanto!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho! Adoraria ver mais coisas dentro desse universo.

      Excluir
  8. Que nostalgia ver Alladin no post. Joguei demais na infância. Castle of illusion também cheguei a jogar, lembro que era bem difícil em alguns momentos. Adorei a ideia de Wasteland sendo uma Disneyland abandonada e confesso que o fato de ir colorindo as coisas me lembrou muito outro jogo da minha infância do Mickey chamado Artista mágico. Deu vontade de jogar. E não sabia que tinha adaptações, adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, não conhecia esse jogo do Mickey, vou procurar! :3

      Excluir
  9. Cara! Bateu uma nostalgia agora! Eu acho que Castle of Illusion(do Master System) foi o jogo de plataforma que mais passei tempo jogando e realmente lembro que, já na verção 8bits, era diferente dos outros. Não era fã no rato de voz fina, mas me acabei como este e o Land of Illusion também. Não conhecia este tal projeto de um jogo para o Donald que foi cancelado mas seria bem interessante.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Dica: clique em "notifique-me" para que você seja avisado(a) por e-mail quando eu responder seu comentário ❤