Sobre Relatos de um Garoto de Outro Planeta

No começo me sentia desconectado do mundo, como se eu fosse de outro planeta, mas aí aprendi que todos tem as suas dores e vivem em seu pequeno planetinha/mundinho.

Sobre o blog & Sobre mim
Banner que eu desenvolvi para o blog que ficou tão lindo que é praticamente o meu filho 😂😂😂

Siga nas redes sociais:👍 Facebook | 💬 Twitter | 📷 Instagram | 📌 Pinterest
🔔 Seja um padrinho! Conheça minha campanha no Padrim

Seja bem-vindo! Tenho cerca de 24 anos e sofro com transtorno bipolar, ansiedade e pânico. Criei esse blog para ser uma espécie de diário virtual público e anônimo, mas sem compromissos, ou seja, diferentemente de um, eu não tenho uma obrigatoriedade de fazer publicações todos os dias. Também não faço relatos de dias específicos, mas sim publico alguns pensamentos e reflexões minhas. De vez em nunca publico algum desenho meu ou poema. Gosto de desenhar, apesar de não ser tão bom nisso.

Sou amante de Psicologia e estudo muito sobre esse assunto, tanto para minha psicoeducação quanto porque eu realmente quero ser psicólogo clínico ou psicanalista. Às vezes faço publicações informativas sobre Psicologia organizando as coisas que aprendo já que não tenho muitas pessoas com quem posso compartilhar.

Por que o blog tem esse nome?
Relatos de um Garoto de Outro Planeta: Saiba mais um pouco sobre o blog, que tipo de conteúdo você encontra aqui e as minhas motivações para criá-lo.
O Banner é inspirado
nessa versão do livro.

O nome da página foi inspirado no livro O Pequeno Príncipe (Le Petit Prince) do autor francês Antoine de Saint-Exupéry. Esse livro é muito antigo, foi publicado em 1943 e é um verdadeiro clássico que participa da infância das crianças até hoje.

Na minha época de criança praticamente todas as casas tinham pelo menos uma cópia do livro. Acho que até hoje é assim porque o sucesso continua absurdo. É só entrar em qualquer livraria que um dos livros mais fáceis de achar com mais versões possíveis em vários idiomas e formatos diferentes, além de outros produtos baseados na obra 🤔🤔🤔.

Além de o livro ter uma importância grande para mim, por ter feito parte da minha infância, outra coisa me inspirou que foi o filme Tocados pelo Fogo (2015) sobre o transtorno bipolar. Basicamente, é um romance entre dois bipolares que se conhecem em um hospital psiquiátrico. Os dois são poetas e ele faz várias referências a artistas, pintores, músicos e escritores que tinham a condição. O longa é inspirado em um livro de mesmo nome da cientista Kay Redfield Jamison que não é um romance, mas estuda a relação entre criatividade e arte com bipolaridade eoutros distúrbios de humor (tema que serviu de pano de fundo a trama do filme).

Relatos de um Garoto de Outro Planeta: Saiba mais um pouco sobre o blog, que tipo de conteúdo você encontra aqui e as minhas motivações para criá-lo.
Minha edição do livro em inglês com
capa dura e páginas douradas nas bordas.

Nele tem uma cena que eles fazem referência ao livro de O Pequeno Príncipe, sobre os bipolares serem como pessoas de outro planeta.

Fui diagnosticado com transtorno bipolar e esse é um dos temas que eu mais abordo. Por muito tempo me senti desconectado das outras pessoas por causa dessa condição. Sentia como ninguém pudesse me entender.

Daí resolvi dar esse nome para a página, em referência ao livro e a esse filme. É claro que hoje eu não me sinto mais dessa forma porque sei que todos tem problemas, maiores ou menores, ninguém é totalmente normal, penso que cada um vive em seu próprio planeta.

Eu também conheci muitas pessoas que tem o mesmo diagnóstico que eu e outros diagnósticos também que são igualmente estigmatizados (ou até mais). Vi que eu não estava sozinho, posso conversar com outros de vivências similares.

Por que escolhi o anonimato?

Eu
Eu.
Esse projeto começou com a página no Facebook e escolhi não mostrar o rosto e utilizar um pseudônimo inicialmente porque quando eu estava desestabilizado eu tinha o costume de me expor muito nas minhas redes sociais fazendo publicações raivosas que chamavam muita atenção. Decidi criar uma página onde eu pudesse canalizar toda essa instabilidade sem que isso me prejudicasse.

Com o passar do tempo, minha motivação para continuar com a página mudou, comecei a me dedicar mais e a publicar textos mais elaborados e longos e por fim criei esse blog. Me orgulhei desse projeto e eu gostaria sim de assumir a autoria publicamente, porém, tem um fator que infelizmente me impede.
Desejo me tornar psicólogo ou psicoterapeuta e a abordagem que mais me desperta interesse no momento é a Psicanálise. Dentro dela o profissional não deve compartilhar muitas informações da sua vida pessoal com seus pacientes por causa do conceito de neutralidade do terapeuta/analista. Então, se eu assumir a autoria do blog isso poderia prejudicar a minha carreira futuramente já que meus pacientes poderiam encontrar site ter acesso à minha vida pessoal.

Desenho sobre transtorno bipolar
Desenho que fiz inspirado no Transtorno Bipolar.
_____________________

Esclarecimentos adicionais:

#01 - Posso falar desses assuntos mesmo sem ainda ser psicólogo formado e atuante?

R: Sim, a Psicologia não pertence exclusivamente aos psicólogos, ela é ciência, conhecimento e qualquer pessoa pode estudá-la e propagá-la. O que eu não estou autorizado é a exercer a profissão de psicólogo de forma irregular sem ser formado e sem estar com registro ativo no conselho de classe. Também não posso sair ensinando técnicas estimulando as pessoas a fazerem isso. O mesmo se aplica à Medicina.

Eu nunca me propus a tratar ou analisar pessoas, sempre que opino sobre algo deixo claro que meu ponto de vista não é a de um profissional. Nunca dou diagnósticos, forneço dicas baseadas em coisas que estudo e na minha vivência enquanto paciente e sempre recomendo que as pessoas busquem ajuda profissional.

Percebo que não há tantos blogs e páginas na internet que propaguem essas informações trazendo o ponto de vista de um paciente, como é o caso aqui. Acredito que tenho contribuído para fazer o conhecimento chegar nas pessoas para que elas entendam a importância do cuidado com a saúde mental.


#02 - As publicações são confiáveis?

R: Quando escrevo textos técnicos de Psicologia e Psicanálise, ou de utilidade pública, eu sempre deixo as fontes e referências no final para consulta. Sou bastante criterioso com as referências que utilizo, seleciono livros, artigos científicos ou artigos e vídeos de profissionais especialistas no assunto.

Sempre deixo claro quando meus posts se tratam de artigos de opinião, e mesmo nesses casos eu não publico opiniões sobre assuntos que eu não tenha estudado o suficiente.


#03 - Se não estou fazendo nada de errado, nem compartilhando informações falsas, por que mantenho o anonimato?

R: Eu tenho muito orgulho do meu blog, mas como expliquei mais acima preciso manter o anonimato para não me prejudicar no mercado de trabalho, já que me exponho muito aqui, e também para não interferir futuramente como psicoterapeuta (quando me tornar um). Não tem relação com eu estar fazendo algo errado.

A minha identidade não é de fato secreta, não escondo de amigos e conhecidos que sou autor desse blog, muitos sabem. Se algum leitor descobrir quem sou eu, também não será o fim do mundo, alguns leitores até sabem. Minha intenção é apenas dificultar essa associação para não me prejudicar nas situações mencionadas.


Vocês conhecem a cantora Sia? Ela utiliza perucas que cobrem o rosto em seus shows, muitas vezes fica no fundo do palco enquanto dançarinos performam suas músicas e ela também não costuma aparecer em seus clipes. Ela disse que faz isso porque quer que as pessoas a reconheçam apenas pela voz e não pela aparência.

Sia cobre seu rosto com perucas com franjão em suas performances.

Só que se a gente jogar no Google: "rosto da cantora Sia", veremos várias fotos, ela não cobre ele quando vai à padaria, por exemplo. A identidade dela não é secreta, ela apenas busca dificultar a associação de seu rosto com a sua voz. É mais ou menos o que eu faço aqui.